Bienal de Veneza 2022: o termômetro da arte

A Bienal Internacional de Arte de Veneza, em sua 59ª edição, acontece de 23 de abril a 27 de novembro de 2022 com o tema “Il latte dei sogni” (“O leite dos sonhos“). Este, que foi baseado no livro de Leonara Carrington, onde a artista surrealista descreve um mundo mágico em que a vida se reinventa através da imaginação.

Foto: Nadia D’Agaro

Neste ano a exposição conta com 1.433 obras de mais de 200 artistas, sendo estes de 58 países diferentes, incluindo o Brasil que tem a maior participação de brasileiros em muitos anos desde sua primeira participação em 1950, na 25ª edição. O destaque do pavilhão brasileiro vai para o artista alagoano Jonathas de Andrade, que traz a instalação “Com o coração saindo pela boca“, inspirada em expressões populares do nosso país.

Além do Brasil, participam países como os Estados Unidos, Suíça, Argentina, China e Singapura, onde cada um tem um pavilhão exclusivo para exibir suas obras temáticas. Os temas são os mais variados, incluindo a construção em madeira na arquitetura americana, dimensões de um país de muitas fronteiras, habitações populares, pátios residenciais e a arquitetura das relações humanas em tempos de Covid-19, respectivamente.

A exposição ainda conta com premiações: um Leão de Ouro para a melhor participação nacional, um Leão de Ouro para o melhor participante da mostra principal e um Leão de Prata para o mais promissor jovem participante no programa principal.

Neste ano, pela primeira vez uma mulher italiana é diretora artística da Bienal, sendo e apenas a quinta mulher de qualquer nacionalidade a ser curadora da exposição. Cecilia Alemani, muda o cenário trazendo um foco inédito em artistas femininas e não-binaries.

Foto: Divulgação

A Bienal de Veneza vem sendo a exposição mais prestigiada do mundo nos últimos tempos, servindo como um verdadeiro termômetro global para arte.